Qual você prefere Corel Draw ou Illustrator?

A pergunta Qual você prefere Corel Draw ou Illustrator? já tem muitos anos e um dos tópicos que mais esquentam a discussão entre designers é o tipo de software utilizado para realização de projetos. Embora na área de edição de imagens haja uma supremacia do Photoshop, no ramo vetorial há uma antiga e interessante concorrência entre Corel Draw e Adobe Illustrator. O software da Adobe costuma ser mais querido entre designers da geração Apple. Já o Corel Draw é um velho e antigo parceiro dos designers Old School. Vale a pena fazer um Curso de Corel Draw?

No meu caso, acabei encontrando o Corel Draw na maioria dos empregos que tive na vida, por isso me acostumei mais e conheci à fundo o famoso “lenhador” dos designers. Nos poucos empregos que fui obrigado à utilizar o Illustrator, acabei reconhecendo pontos fracos no software tão querido da Adobe. Qual você prefere Corel Draw ou Illustrator

Analisando esse comparativo entre os programas, acabei criando essa lista com vantagens de um e de outro programa, mais com um tom humorístico do que qualquer outra coisa. Confira e veja se você se identifica com alguns dos desafios de cada interface:

Qual você prefere Corel Draw ou Illustrator?

Qual você prefere Corel Draw ou Illustrator

Qual você prefere Corel Draw ou Illustrator

1. Criando um Degradé

Illustrator:
Para aplicar um degradé linear, primeiro é preciso selecionar um preenchimento preto e branco na paleta e depois aplicar as cores e ângulos. Um saco. Além disso, não é possível aplicar gradiente em letras. Apenas depois de converte-las em curvas.

Corel
Com a ferramenta “Preenchimento Interativo” é possível aplicar o degradé tão fácil quanto criar uma linha, além de trocar cores e ângulos. Ah, e ele também aplica gradiente em texto, sem precisar convertê-lo em curvas. Em um Curso de Papelaria Personalizada a aprendizagem seria muito melhor.

2. Trabalhando com Camadas/Layers, Qual você prefere Corel Draw ou Illustrator

Illustrator:
Recursos como Cliping Mask, Transparência, Agrupar além da própria seta preta de seleção te impelem à usar camadas e ficar sempre se organizando, cadastrando-as e catalogando-as na Paleta “Camadas”. Um pouco cansativo e burocrático, não…?

Corel
Não é necessário usar camadas mesmo com diversos recursos aplicados na imagem. E antes que falem que isso é um defeito: sim, exite a opção de camadas no corel, mas simplesmente é muito mais tranquilo trabalhar em apenas uma e usar camadas apenas em casos extremos, como quando não queremos imprimir algum objeto, etc.

3. Criando uma Transparência Linear

Illustrator:
Aplicar transparência linear é muito trabalhoso, sendo necessário criar um arquivo em degradé preto e branco (!), para depois aplicar a máscara Make Opacity Mask. Depois caso seja preciso alterar o efeito, é preciso achá-lo na paleta layer e trocar o degradé preto e branco (!!).

Corel
Aplica-se transparência em qualquer objeto com praticidade usando a ferramenta “Tranparência”. Fácil e rápido.

3. Usando Contornos em Letras

Illustrator:
Não permite colocar contorno atrás do objeto enquanto forem letras – apenas depois de transforma-las em curvas. Caso você precise editar o texto, dançou. Vai ter que escrever, escolher a fonte transformar em curva e depois aplicar o contorno de novo… Ou fazer uma gambiarra e ter 2 textos iguais sobrepostos, um com contorno e o outro não. E designer geração Apple não deve jamais aceitar gambiarra.

Corel
Contorno atrás em qualquer objeto.

5. Exportando JPEGs

Illustrator:
Não permite colocar um tamanho específico em pixels ou cm no arquivo JPEG à ser exportado. Você apenas escolhe a resolução e qualidade. Se for apenas um arquivo pra visualização, o arquivo exportado pode ficar gigantesco, sendo necessário abrir depois no Photoshop pra diminuí-lo. Além disso se quiser exportar apenas um objeto da arte não é possível. Outro problema é quando a arte está grande e você vai exportar o JPEG e aparece a mensagem “Memória insuficiente para realizar a operação”. E olha que já trabalhei com máquinas Ninjas Super Ferozes e ainda assim o Illustrator me deixou na mão…

Corel
Permite personalizar a largura e altura de pixels, além da resolução, percentual, etc. Possui a opção “Exportar somente selecionados” que faz com que exporte apenas o que estava clicado, permitindo exportar apenas alguns objetos ou a arte toda. E não importa o tamanho da arte nem a capacidade do seu computador – o Corel exportará mesmo que leve 10 minutos. O Corel não te abandona!

6. Exportando outros formatos

Illustrator:
Possui 13 opções de formato de arquivo para exportar e não possui .CDR do Corel (preconceito anti-concorrência).

Corel
Possui 43 formatos, sem preconceito de empresa ou raça, incluindo .AI .EPS . PDF .ETC .TAL

7. Alinhando objetos

Illustrator:
Ao alinhar dois ou mais objetos pela esquerda ou direita, o Illustrator usa o que estiver mais na ponta como referência. Ao alinhar pelo centro ele tira a média dos dois e move-os, ou seja, os dois objetos saem do lugar. Se um dos objetos está exatamente onde você queria, você se ferrou: vai ter que encontrar de novo o lugar na raça.

Corel
Ao alinhar dois ou mais objetos pela esquerda ou direita ele toma como referência qual você clicou por último. Isso facilita quando existem muitos objetos. Basta selecionar todos e depois clicar no último que será a referência. Ao alinhar pelo centro esse recurso é útil também pois o objeto de referência permanecerá parado no mesmo local.

8. Teclas Atalho

Illustrator:
O atalho para fazer o objeto ir para o fundo ou para frente é de difícil memorização: control + colchetes pra fora pra fazer descer ou control + colchetes pra dentro pra fazer subir – ou será o contrário? Além disso atalhos pra alinhamento não existem. O lado bom é que alguns atalhos são padrões da Adobe, então pode ajudar… Um pouco…

Corel
Atalho pra fazer objetos irem pro fundo ou pra frente fazem sentido: control + page Up trás pra cima. Control + page down leva pra baixo. Atalho pra alinhamento são ainda mais fáceis: T (top), B (bottom), L (left), R (right) e C (center). Sim, é só apertar uma única letra…

9. Mais Contornos

Illustrator:
Quando cria-se um objeto com contorno, ao diminuir ou aumentar o tamanho do objeto, o contorno permanece igual, sendo preciso adequa-lo manualmente à cada tamanho. Se quiser manter o tamanho idêntico, vai ter que calcular a porcentagem do segundo tamanho, depois fazer uma regra de três, uma análise combinatória e estatística…

Corel
Possui a opção “Contorno proporcional ao objeto”, assim ao aumentar ou diminuir o objeto o contorno permanecerá na mesma proporção inicial. Yeahs.

10. Vetorizando

Illustrator:
Ao usar a caneta pra vetorizar um desenho, para ajustar os nós você precisa ficar trocando de ferramenta, ou acrescentando nós com a caneta + ou tirando com a caneta – ou ainda usando o bezier pra formas as cúspides. Se esqueceu de fazer uma curva, ja era: vai ter que pegar a caneta + e criar um ponto, depois ir com a seta branca, afastá-lo até onde você quer, depois pegar o bezier e puxar a curva… Ufa! Fora que isso faz a curva ter 3 pontos, enquanto o necessário mesmo são 2. Lembre-se quanto mais pontos, mais pesado o arquivo.

Corel
Também precisa trocar de ferramentas, mas são em menor quantidade: ou a caneta pra fazer pontos e a seta preta pra fazer as curvas. Já o beziér serve pra fazer as curvas direto sem troca de ferramentas. Fazer cúspides ou nós simétricos é fácil, só apertar o botãozinho no menu em cima.

E Qual você prefere Corel Draw ou Illustrator?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *